abril, 2018

Nossa vida e a influência do dinheiro

Você já parou para pensar que desde muito cedo o dinheiro faz parte de nossas vidas e que para tirarmos o melhor proveito dele é imprescindível saber como usá-lo em nosso favor e da melhor forma possível? A busca pelo equilíbrio financeiro passa necessariamente por adquirir os conceitos e conhecimentos práticos sobre a melhor maneira de lidar com o dinheiro, o que vai contribuir para que sua vida financeira seja mais tranquila.

Uma reflexão mais profunda a respeito do mundo em que vivemos vai nos mostrar que atualmente o grau de complexidade é muito maior que o verificado em gerações passadas, especialmente no que diz respeito a finanças. Mas, uma observação mais atenta vai relevar que, apesar da evolução social e financeira, a maioria das pessoas tem uma educação financeira muito aquém da ideal. A sociedade em que vivemos é extremamente consumista e este consumismo facilitado pela abundância de crediário tem provocado o endividamento desmedido das famílias, o que em um segundo momento provoca a redução da renda e consequentemente a privação de um consumo de melhor qualidade do ponto de vista da satisfação das necessidades essenciais.

Informação, conhecimento, estas as palavras chaves quando o assunto é finanças, entretanto a maior parte das pessoas não está preocupada em buscar este conhecimento, que a princípio vai possibilitar uma gestão mais equilibrada em sua vida financeira.

Esta questão preocupa, pois não temos a cultura, a organização financeira como foco. Nossas crianças não são educadas para lidar com esta situação, pois nas escolas pouco ou nada se fala sobre o assunto. As crianças tornam-se adultos, partem para o mercado de trabalho sem a menor noção de como gerenciar a sua vida financeira. Por sua vez, as empresas também não dão a devida importância ao tema e muito pouco investem nesta área. Nos “papos de botequim” ou no chá com as amigas o assunto, gestão financeira pessoal, dificilmente é tratado, talvez por constrangimento, mas geralmente por falta de conhecimento. Observando-se o núcleo familiar percebemos que na grande maioria dos casos não se criou o habito de discutir e elaborar um orçamento familiar. Assim, em que pese todos nós termos que lidar frequentemente com o assunto dinheiro, são poucas as pessoas que criaram o saudável habito de buscar informar-se para poder melhor gerir seus recursos.

Uma triste constatação é que a maior parte das pessoas não tenha muito interesse pelo assunto por acreditar que conhece mais do que realmente sabe, e desta forma fica a falsa impressão de compreendermos os conceitos e práticas ligados à gestão financeira. Segundo Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), realizada pela CNC – Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, em maio/2017 o percentual de famílias endividadas chegou 57,6%, um recuo de 1,3 ponto percentual se comparado ao mês de abril após três períodos de alta. O indicador também ficou abaixo dos 58,7% observados no mesmo período do ano passado. Entretanto, em que pese à queda do percentual de famílias endividadas, a proporção das famílias com dívidas ou contas em atraso apresentou leve aumento, alcançando 24,2% em maio, ante 24,1% em abril e 23,7% em maio de 2016. Estatisticamente, 3 em cada 4 famílias sentem alguma dificuldade para chegar ao fim do mês com seus rendimentos. E você, como cuida do dinheiro? Vamos juntos descobrir como administrar melhor e de maneira mais eficaz seus recursos financeiros?

Como dizia Fernando Pessoa, a vida é a maior empresa do mundo e devemos administra-la da melhor maneira possível. Mas para que possamos realizar esta tarefa precisamos entender que finanças é um departamento das nossas vidas e se um departamento não funcionar adequadamente, certamente comprometerá o funcionamento dos demais.

Assuma a administração de sua vida financeira e seja feliz!