fevereiro, 2018

A importância do orçamento familiar

Para transformar sonhos em realidade é preciso estabelecer metas claras e objetivas, que geralmente necessitam de recursos financeiros para que sejam atingidas. Desta forma, controlar o orçamento pessoal ou familiar é vital. Para um bom planejamento financeiro, é imprescindível que toda a movimentação de recursos – incluindo todas as receitas, despesas e investimentos – esteja organizada. Isso inclui a participação e o comprometimento de cada membro da família, considerando os diferentes perfis de comportamento financeiro de seus integrantes.

Elaborar o orçamento familiar exige disciplina, desta forma, extremamente importante para lidar melhor com a vida financeira dentro de casa.

É um instrumento para desenvolver e incorporar novos hábitos à rotina, porém, ainda, representa uma alternativa para gerenciar o seu patrimônio. Contudo, nem todos alcançam os resultados almejados.

O planejamento definido a partir do orçamento familiar é um impulso importante na realização dos seus planos pode dar muito mais liberdade para investir recursos em algo, como um bom imóvel, boas escolas para os filhos ou mesmo para você, ou ainda naquela viagem dos sonhos. Entretanto, a maior parte das pessoas não atingem os resultados almejados.

Nessas situações, o motivo pode ser um orçamento executado sem disciplina ou comprometimento necessário, mas com alguns ajustes é possível corrigir os principais problemas e obter, a partir daí bons resultados. Acompanhe a seguir uma das várias metodologias para a organização de um orçamento familiar e tente encontrar onde você pode estar errando.

1ª Etapa – Levantamento das receitas e despesas mensais

Inicialmente você deve registrar toda e qualquer fonte de rendimento, ou seja, qual a origem de suas receitas mensais. Aponte não apenas a fonte de sua renda, mas também os valores delas resultantes. Estes valores podem ser originários de salários, algum aluguel recebido, uma atividade extra, bem como outros benefícios regulares. No caso de existirem fontes de renda extra, mas eventuais, é preciso calcular uma média mensal para incluí-los no orçamento. Uma vez realizado o levantamento das receitas é hora de definir e registrar quais são as suas despesas, ou seja, quais as obrigações que frequentemente você precisa cumprir, tais como, despesas com energia, água, aluguel, impostos, sejam elas mensais, anuais ou outra periodicidade qualquer. Neste caso é crucial o registro, seja em papel, planilha eletrônica ou mesmo em um aplicativo instalado em seu computador, tablet ou smartphone.

2ª Etapa – Coleta de informações

Como forma de facilitar a identificação de suas despesas, procure basear suas informações em documentos, tais como, suas faturas, ou alguma espécie de documento que comprove o pagamento de uma conta (extratos bancário e de cartão de credito mensais ou anuais, comprovantes de pagamento, etc.). Este levantamento vai possibilitar que você conheça a real dimensão das despesas de sua família, estes dados são indispensáveis para a compreensão das receitas vinculadas às suas obrigações. O objetivo principal é levantar exatamente quais são as suas receitas e despesas. É importante entender que não é o caso de prever quais as despesas, mas de efetivamente conhece-las. Desta forma, nessa etapa todas as informações são muito importantes.

3ª Etapa – Separar despesas frequentes das eventuais

As despesas consideradas fixas são aquelas que aparecem, regularmente todos os meses. Essas obrigações podem se dividir em prestações da casa própria, carro, assinatura de TV a cabo, internet, telefone, mensalidade da escola das crianças, planos de saúde ou mesmo impostos, por exemplo. Por sua vez, os gastos tidos como variáveis podem oscilar mês a mês, como, as despesas com supermercado, combustível, pedágio e vestuário é fundamental identificar as despesas principais e proceder à separação destas das ocasionais, ou seja, aquelas não tão relevantes especialmente quando o objetivo for controlar os gastos. Frequentemente proceder algum ajuste, mesmo nas despesas ocasionais, é uma tarefa das mais complicadas, especialmente se não houver o comprometimento de todos os membros do núcleo familiar. Algumas despesas são imprescindíveis, pois você não pode adiar o pagamento da prestação ou do aluguel do seu imóvel, mas pode substituir um item mais caro por uma mais barato no supermercado ou diminuir a frequência das refeições fora de casa, por exemplo.

4ª Etapa – Definindo o quanto gastar

Para conhecer o quanto, do seu orçamento, está disponível é primordial levantar qual a parcela que está comprometida com o pagamento de dívidas, contas e outros compromissos assumidos. Este levantamento é importante, pois o não cumprimento de uma obrigação pode acarretar sanções que podem elevar suas despesas futuras, uma vez que podem gerar multas e juros por atraso. Definidas as despesas outro ponto que deve ser pensado é a constituição de uma reserva para eventuais emergências. Tais reservas têm por objetivo nos prevenir de imprevistos como, problemas de saúde, manutenção do imóvel e no carro. A constituição de uma poupança só vai ocorrer após a definição clara das receitas e gastos mensais, logo, é necessário estar preparado para os momentos em que não haverá sobras após o pagamento de todas as contas e a reserva do montante destinado ao fundo para emergências. Esta condição mostra que o seu orçamento está apertado, no limite e você assumiu obrigações até o limite do que era possível. Este é um sinalizador para que nos próximos meses você não cruze essa linha! Economizar pode representar a redução de alguns gastos, eliminar algumas despesas consideradas supérfluas e abrir mão de pequenos confortos. Mas com disciplina, persistência e organização — além do esforço de toda a família —, é factível constituir uma boa poupança para que possa conquistar os seus objetivos.

As vantagens do orçamento e planejamento familiar

Como visto no início, para tornar seus sonhos reais é necessário estipular metas claras e objetivas, e de recursos financeiros para que sejam alcançadas. Por isso, controlar o orçamento pessoal ou familiar é vital. Para isso planejar cada passo é importante e que exige o comprometimento de todos os membros da família, mas a constância e persistência é o que no final vai fazer a diferença.

Pratique

  • O orçamento é uma ferramenta valiosa para que você consiga gerenciar sua vida financeira. Crie o saudável hábito de fazê-lo. Você só tem a ganhar.
  • Lembre-se da regra de ouro: o objetivo principal é ter orçamento superavitário. Mantenha suas despesas sempre menores que suas receitas. Em resumo, gaste menos do que você recebe.
  • No início, caso experimente dificuldades em fazer o orçamento, não desanime. É normal haver dúvidas ao iniciarmos procedimentos novos.
  • Lembre-se de que existem diversas ferramentas para você fazer e acompanhar seu orçamento, desde as mais simples, como um pedaço de papel e um lápis, até as mais sofisticadas, como planilhas e programas de computador. Use aquela com a qual você se sente mais confortável.
  • Após conseguir obter um orçamento superavitário, ou seja, gastar menos do que recebe, crie o hábito de fazer uma poupança, tanto para realizar seus sonhos, como para ter segurança em situações imprevistas ou de emergência.
  • O uso do dinheiro muitas vezes envolve não apenas você mesmo, mas também sua família mais próxima. Caso essa seja sua realidade, não deixe de conversar com seus familiares e traçar planos em comum, de modo que todos estejam compromissados com o que for definido no planejamento orçamentário.

Muitas vezes não é fácil encarar os gastos e a incerteza no orçamento é incômoda. Com a facilidade de acesso ao crédito nos últimos tempos, é natural que as pessoas estejam mais propensas a buscar atender as suas demandas reprimidas por anos e ao consumo desenfreado. Assim, controlar o impulso e analisar melhor a situação financeira real de sua família requer um mínimo de audácia, mas, principalmente, atitude. Ainda que não seja uma tarefa das mais fáceis exercer o controle, a elaboração de um orçamento familiar é bem mais simples. Há a disposição uma grande variedade de programas, planilhas e aplicativos que podem contribuir para execução dessa empreitada com menos complicação. Com os instrumentos apropriados, é absolutamente concebível proceder às mudanças necessárias e deixar o dinheiro trabalhar a seu favor.