dezembro, 2010

Recursos do FGTS para habitação e infraestrutura aumentam 55% no ano

O volume de recursos aplicados no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) cresceu 55,5% em 2010.

Os dados, apresentados nesta quarta-feira (29) pelo ministro do Trabalho, Carlos Lupi, demonstram que o orçamento do fundo destinado a programas de habitação popular, saneamento e infraestrutura urbana foi de R$ 74 bilhões este ano. Em 2009, o FGTS havia investido quase R$ 48 bilhões nesses programas.

Segundo o ministro, o resultado dos investimentos significa mais geração de emprego. “A cada um milhão de reais investido pelo FGTS, geram-se 65 empregos diretos e indiretos”, explicou Lupi.

O orçamento de aplicação do fundo foi dividido em R$ 50,8 bilhões para financiamento tradicional – que inclui habitação, saneamento e infraestrutura – e cerca de R$ 23,7 bilhões para operações de mercado, no Fundo de Investimentos do FGTS.

Rendimento da poupança no ano é o pior desde 1967, diz consultoria

Mais popular aplicação do país, a caderneta de poupança registrou rendimento de 6,9% ao longo de 2010, o que representa o pior resultado desde 1967.

Até então, o menor rendimento foi o registrado no ano passado, quando o poupador obteve ganho de 7,05%. Os dados são da consultoria Economatica, que realizou um levantamento sobre o desempenho da poupança desde 1967.

A queda do rendimento da aplicação vem ocorrendo nos últimos anos. Dos cinco piores resultados, além dos de 2010 e 2009, estão: 2007 (7,77%), 2008 (7,9%) e 2004 (8,1%).

Com Petrobras, BNDES desembolsa R$ 153,6 bi no ano até novembro

O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) informou nesta segunda-feira que os desembolsos totais de janeiro a novembro atingiram R$ 153,6 bilhões, aumento de 31% sobre igual intervalo de 2009.

Segundo o banco de fomento, o desempenho acumulado dos primeiros 11 meses do ano foi influenciado pela operação de capitalização da Petrobras, realizada em setembro.

“Sem considerar a operação da Petrobras –que estatisticamente se enquadra na rubrica ‘outras operações de mercado’–, os desembolsos do banco, até novembro último, ficaram em R$ 128,8 bilhões, mostrando crescimento de 10% sobre igual período do ano passado”, informou o BNDES em comunicado.

Em novembro apenas, as liberações foram de R$ 12,7 bilhões, aumento de 16% sobre o mesmo mês do ano passado.

Excluindo a capitalização da Petrobras, o BNDES estima desembolsos em todo o ano de 2010 da ordem de R$ 140 bilhões, ligeiramente acima de 2009.

Neste ano até novembro, as aprovações de empréstimos do BNDES somaram R$ 174,1 bilhões e as consultas, R$ 238,4 bilhões.

INDÚSTRIA LIDERA

A indústria recebeu R$ 73,2 bilhões do BNDES de janeiro a novembro, com destaque para o setor de alimentos e bebidas –com R$ 12,8 bilhões, alta de 115%.

A área de infraestrutura tomou empréstimos de R$ 47 bilhões do banco, com transportes recebendo R$ 23,6 bilhões do montante, quase o dobro do observado de janeiro a novembro de 2009.