Telefone: 13 3878-8400  |  E-mail: consultoria@creditoemercado.com.br

Consultoria em Investimentos

comunicado Credito & Mercado ao clientes

Santos, 05 de Julho de 2013.

Prezado cliente,

Rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura. Este é um dos jargões mais utilizados no mercado financeiro, e leitura obrigatória contida nos regulamentos e prospectos dos Fundos de Investimentos de acordo com a ANBIMA.

O índice que gerou uma grande rentabilidade em 2012, deixando muitos gestores de Regimes Próprios de Previdência confiantes de sua gestão, por atingirem a meta atuarial na metade do ano, é o mesmo que tem feito muitos entrarem em pânico, com receio do que virá pela frente e sofrendo grandes pressões dos conselheiros e do próprio comitê de investimentos. A volatilidade é o risco que está embutido, em maior ou menor escala, em todos os investimentos existentes, passando dos mais conservadores aos mais arrojados.

Esta tal volatilidade é um dos fatores que geram a rentabilidade tão esperada dos grandes investidores, mas ao mesmo tempo, pode suscitar também momentos de instabilidade, períodos de rentabilidade insatisfatória. O gestor deve saber passar por esses momentos com serenidade, cautela e sensatez.

Desde meados de 2012, a Crédito & Mercado vem comunicando seus clientes, alertando-os sobre o início de um possível ciclo de alta volatilidade do IMA e seus subíndices, devido à condução da política monetária que vinha sendo adotada pelo Banco Central. Logo essa volatilidade se concretizou, e os investimentos foram empurrados para baixo.

A recomendação era para que reduzissem a exposição para 30 a 40%, no máximo, em investimentos atrelado ao IMA-B, e migrando a maior parte dos recursos para o IMA-Geral. Entretanto, muitos gestores olharam para o passado e optaram por não se desfazer de suas posições que vinham apresentando rentabilidade muito acima da média.

Atônitos com a queda de seus patrimônios, alguns gestores optaram por resgatar seus investimentos. Com cautela e serenidade, os gestores que souberam esperar têm visto os investimentos aos poucos retornarem. Seguindo nossas orientações, muitos reduziram sua exposição em IMA B e estão passando sem grandes problemas pela turbulência.

O momento atual é semelhante, entretanto mais prolongado. O IMA-B possui a característica de acompanhar a inflação, e por este motivo, sempre que o Banco Central decide combatê-la, o preço do título se desvaloriza. O gestor não deve esquecer que a grande vantagem é que o cupom de juros aumenta em função do próprio aumento da taxa de juros (SELIC), fazendo com que o Instituto obtenha ganhos reais mais importantes do que a variação da inflação.

Mesmo o preço do título se desvalorizando, é preciso lembrar que o compromisso do Instituto é de longo prazo. É muito importante que o gestor mantenha a calma, não tome decisões precipitadas, para não jogar fora todo um trabalho planejado. Neste momento, o auxílio do comitê de investimento e dos consultores é de fundamental importância para que o Instituto tome suas decisões com prudência, sem se deixar levar pelo imediatismo.

A preocupação com a meta atuarial deve estar sempre no foco, mas lembre-se que ela é um termo de referência, um objetivo a ser alcançado, e não uma obrigação a ser atingida a todo o momento. Devemos nos esforçar para superá-la, mas principalmente observar o resultado no longo prazo, pois uma venda errada no meio do caminho, com receio de uma queda, pode gerar a realização de prejuízo, em alguns cenários, irreversíveis mesmo no longo prazo.

Para os institutos que vêm acompanhando as orientações da Crédito & Mercado, não têm muito com que se preocupar, pois estão com 30 a 40% atrelado em IMA-B, deste modo, a maior parte da carteira está protegida.

Se o seu instituto possui mais que 40% em IMA-B, a volatilidade foi mais acentuada. Mesmo assim, não há motivos para pânico. Pelo contrário, é motivo para muita cautela e evitar resgates destes títulos para impedir a realização de prejuízo. Mais cedo ou mais tarde, os preços retornarão ao nível anterior, e o ganho real acima da inflação estará garantido.

Atenciosamente,

Equipe Credito & Mercado

Deixe um Comentário

Repetir o Post