Telefone: 13 3878-8400  |  E-mail: consultoria@creditoemercado.com.br

Consultoria em InvestimentosConsultoria em Investimentos

Focus desta semana traz expectativa de juros e inflação menores em 2010

SELIC

A estimativa para a SELIC, a taxa básica de juros da economia, para o fim do ano caiu de 11% para 10,75% ao ano. A projeção para a SELIC em setembro deste ano também foi reduzida, de 11% para 10,75% ao ano. Já para a taxa no fim de 2011, a projeção foi mantida em 11,50% ao ano.

 Inflação

 O Boletim Focus desta semana mostra que o mercado financeiro espera também redução para a inflação medida pelo IPCA – Índice de Preços ao Consumidor Amplo, em 2010. A projeção para a alta de preços acumulada ao fim de 2010 recuou de 5,19% para 5,10%, entretanto, cabe ressaltar que ainda acima do centro da meta de inflação para o ano, que é de 4,50%. A estimativa em relação ao IPCA para 2011 subiu de 4,80% para 4,86%. O mercado reduziu ainda a estimativa para a inflação de curto prazo de 0,27% para 0,19% para o IPCA de agosto. Já para setembro, o mercado continua projetando inflação de 0,36%.

PIB

A economia brasileira deve apresentar crescimento de 7,10% em 2010, pouco superior aquele estimado anteriormente, que era de 7,09%. Os números representam à mediana das expectativas de cem instituições financeiras pesquisadas semanalmente pelo Banco Central do Brasil e publicados no Boletim Focus.

Para 2011, o mercado manteve, pela 37ª semana seguida, a estimativa de crescimento de 4,5% para o PIB – Produto Interno Bruto brasileiro.

Câmbio

O mercado financeiro manteve a projeção para o patamar do dólar no fim do ano. O nível da moeda norte-americana ao final de 2010 seguiu em R$ 1,80. Para 2011, a expectativa para a moeda americana manteve-se em R$ 1,85. A expectativa do câmbio médio ao longo de 2010 permaneceu em R$ 1,79.

Contas Externas

Para a balança comercial, a expectativa é de manutenção nos patamares anteriores, ou seja, superávit de US$ 15 bilhões em 2010, entretanto houve ampliação da projeção de saldo positivo para o ano de 2011, com elevação de US$ 8,68 bilhões para US$ 9 bilhões.

A mediana das estimativas do mercado para investimento estrangeiro direto, é de entrada de US$ 31 bilhões para 2010 e de US$ 38,20 bilhões em 2011. Anteriormente, as estimativas eram de US$ 32 bilhões e US$ 38,50 bilhões, respectivamente.

Para o saldo em conta corrente, as projeções apontam déficit de US$ 49,91 bilhões em 2010 e de resultado negativo de US$ 57,90 bilhões em 2011, contra déficit estimado de US$ 49 bilhões e de US$ 58 bilhões esperado anteriormente, nesta ordem.

A produção industrial deve crescer cerca de 11,49% em 2010, contra 11,57% estimado anteriormente,  e subir 5% em 2011.

Fonte: Banco Central

Deixe um Comentário

Repetir o Post