Telefone: 13 3878-8400  |  E-mail: consultoria@creditoemercado.com.br

Consultoria em Investimentos

março 25th, 2013

Mercado reduz projeção de crescimento do PIB para 3% em 2013

O Relatório de Mercado – FOCUS, divulgado hoje, 25/03, revela que os economistas dos bancos reduziram pela segunda semana seguida a sua estimativa para o crescimento da economia brasileira de 3,03% para 3,00%.

Para o próximo ano, mantiveram a projeção para a evolução do PIB em 3,50%.

Inflação

Os analistas das instituições financeiras reduziram pela segunda semana seguida a sua projeção para o índice oficial de inflação do governo medido pelo IPCA de 5,73% para 5,71%. Em contrapartida para 2014, o mercado financeiro elevou de 5,54% para 5,60% a sua estimativa para o IPCA.

Inflação de curto prazo

Os economistas dos bancos elevaram a sua estimativa para a inflação de março de 0,44% para 0,55%, por sua vez reduziram a projeção para o IPCA de abril de 0,50% para 0,40%.

Juros

Como a escalada da inflação é uma preocupação da autoridade monetária, os analistas dos bancos entendem que a forma como o BACEN deve lidar com o problema é elevando a taxa básica de juros da economia. Desta forma, pela terceira semana, a estimativa para a Selic foi elevada, desta feita passando de 8,25% ao ano para 8,50% ao ano em 2013. Para o próximo ano mantiveram a sua estimativa em 8,50% ao ano.

Câmbio

A estimativa dos economistas do mercado financeiro para a taxa de câmbio em 2013 continuou em R$ 2,00 por unidade da moeda norte-americana. Para 2014, a projeção do mercado financeiro para o dólar permaneceu em R$ 2,05 por dólar.

Balanço de pagamentos e IED

Os economistas dos bancos reduziram de US$ 14 bilhões para US$ 13 bilhões a sua estimativa para o saldo positivo da balança comercial brasileira em 2013. Para o próximo ano, a projeção de superávit comercial também recuou, mas de US$ 14,5 bilhões para US$ 13,3 bilhões.

A projeção de entrada de IED – Investimentos Estrangeiros Diretos ficou em US$ 60 bilhões. Para 2014, a estimativa dos economistas dos bancos para a entrada de investimentos estrangeiros permaneceu em US$ 60 bilhões.