Telefone: 13 3878-8400  |  E-mail: consultoria@creditoemercado.com.br

Consultoria em Investimentos

março 4th, 2013

Mercado reduz projeção para PIB e eleva estimativa para IPCA em 2013

O Relatório de Mercado – FOCUS divulgado hoje, 04/03, traz como principal informação que os analistas das instituições financeiras  elevaram a sua estimativa para o índice oficial de inflação do governo medido pelo IPCA – Índice de Preços ao Consumidor Amplo. Além de projetar maior inflação, os economistas dos bancos reduziram a sua estimativa para o crescimento da economia brasileira.

Divulgado todas às segundas-feiras, o Relatório de Mercado – FOCUS é importante para o Banco Central acompanhar de perto as expectativas do mercado financeiro, que são uma das bases do sistema de metas para a inflação, adotado pelo País desde 1999. Nesse sistema, o BC se compromete com uma -meta de inflação -que é medida pelo IPCA – definida pelo governo para o ano, respeitando uma margem de tolerância de 2 pontos para cima ou 2 pontos para baixo. No Brasil, quem define essa meta é o CMN – Conselho Monetário Nacional, ligado ao Ministério da Fazenda e composto pelos ministros da Fazenda e do Planejamento, além do presidente do Banco Central. O documento, que é fruto de pesquisa do Banco Central junto a mais de 100 instituições financeiras.

PIB

Os economistas do mercado financeiro reduziram a sua projeção em relação ao crescimento da economia brasileira de 2013, medido pelo PIB – Produto Interno Bruto de 3,10% para 3,09% Para o próximo ano, a estimativa do mercado financeiro foi elevada de 3,60% para 3,65%.

O  IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística divulgou que  o PIB de 2012 subiu apenas 0,90%, sendo este o pior desempenho apresentado desde 2009. Para 2013, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, reduziu a expectativa do governo que era de crescimento maior que 4,00%. Nesta nova avaliação o Governo revisou para baixo a sua estimativa para o crescimento em torno de 3,00% a 3,50% em 2013.

Inflação

Para a inflação de 2013, medida pelo IPCA, a projeção dos analistas do mercado financeiro foi elevada de 5,69% para 5,70%. Para o próximo ano, a projeção dos economistas dos bancos para o índice de inflação do governo permaneceu em 5,50%.

Juros

Os analistas das instituições financeiras mantiveram a sua estimativa para a taxa básica de juros da economia brasileira em 7,25% ao ano, para 2013, mesmo após as declarações do presidente do Banco Central e do Ministro da Fazenda de que a preocupação do Governo é com a inflação e não com o crescimento da economia. Para 2014, a projeção dos economistas dos bancos para a taxa Selic foi mantida em 8,25% ao ano – o que implica em projeção de alta nas taxas de juros ao longo do próximo ano.

Cambio

A estimativa dos economistas dos bancos para a taxa de câmbio em  2013 ficou em R$ 2,00 por unidade da moeda norte-americana. Para 2014, a projeção dos analistas do mercado financeiro para o dólar ficou em R$ 2,05.

Balanço de pagamentos e IED

Os economistas dos bancos reduziram a sua estimativa para o saldo positivo da balança comercial brasileira  em 2013, de US$ 15,20 bilhões para US$ 15 bilhões. Para o próximo ano, a projeção do superávit comercial recuou de US$ 15,60 bilhões para US$ 14,50 bilhões.

A projeção de entrada de IED – Investimentos Estrangeiros Diretos no Brasil permaneceu em US$ 60 bilhões em 2013. Para 2014, a estimativa do  mercado financeiro para a entrada de investimentos estrangeiros ficou  também em US$ 60 bilhões.