Telefone: 13 3878-8400  |  E-mail: consultoria@creditoemercado.com.br

Consultoria em Investimentos

fevereiro 4th, 2013

Mercado eleva mais uma vez a sua projeção para IPCA de 2013

O Banco Central do Brasil divulgou hoje, 04/02, o Relatório de Mercado Focus que traz a expectativa dos agentes do mercado financeiro sobre aspectos relevantes da economia brasileira. Segundo o relatório Focus, os analistas das instituições financeiras elevaram a sua estimativa em relação ao índice oficial de inflação do governo medido pelo IPCA – Índice de Preços ao Consumidor Amplo, que passou de 5,67% para 5,68%. Com esta é a quinta alta seguida do indicador da inflação oficial brasileira. Para o próximo ano, a projeção permaneceu  5,50%.

É importante entender a relevância do IPCA na economia brasileira, pois a politica econômica está centrada no controle da inflação medida pelo IPCA. Vigora no Brasil o sistema de metas de inflação, que consiste na atuação da autoridade monetária (Bacen)  sobre a taxa básica de juros (Selic) para atingir as metas pré-estabelecidas pelo CMN – Conselho Monetário Nacional. Para os anos de 2013 e 2014, o centro da meta de inflação é de 4,5%, com um intervalo de tolerância de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Assim, o IPCA variar entre 2,5% e 6,5% sem que a meta seja formalmente descumprida.

Inflação de curto prazo

Os economistas do mercado financeiro mantiveram a sua projeção para o IPCA de janeiro em 0,85%. Igualmente mantiveram a projeção da inflação oficial para fevereiro em 0,40%.

Juros e cambio

Após a manutenção dos juros em janeiro pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do BC em 7,25% ao ano, o mercado financeiro segue acreditando que a taxa permanecerá neste patamar, pelo menos, até o fim de 2013. Para o fechamento de 2014, a previsão do mercado para a taxa básica de juros foi mantida inalterada em 8,25% ao ano – o que pressupõe elevação dos juros no decorrer do próximo ano.

Produto Interno Bruto

A projeção de crescimento da economia brasileira medida pela evolução do PIB – Produto Interno Bruto, pelos analistas das instituições financeiras permaneceu no mesmo patamar da semana anterior, ou seja, 3,10%. Há cerca de quatro semanas, os economistas dos bancos projetavam que a economia brasileira mostraria um crescimento da ordem de 3,26% em 2013.

Para 2014, a estimativa do mercado financeiro para o crescimento da economia brasileira subiu de 3,65% para 3,70%.

Em relação à taxa de cambio, os economistas do mercado financeiro projetam queda para taxa de câmbio em 2013, de R$ 2,07 para R$ 2,05 por unidade da moeda norte-americana. Para 2014, a estimativa do mercado financeiro para o dólar caiu de R$ 2,09 para R$ 2,07.

Produção Industrial

Os analistas das instituições financeiras elevaram, pela primeira vez no ano, a sua projeção para o crescimento da indústria brasileira, que subiu de 3,10% para 3,17%. Para 2014, a estimativa foi mantida em 3,70%.

Balanço de pagamentos e IED

Para o saldo positivo da balança comercial brasileira, os analistas das instituições financeiras reduziram a sua projeção para 2013 de US$ 16,75 bilhões para US$ 15,50 bilhões. Para 2014, a estimativa para o superávit da balança comercial permaneceu em US$ 16 bilhões.

A estimativa de ingresso de IED – Investimentos Estrangeiros Diretos em 2013 permaneceu em US$ 60 bilhões. Para o próximo ano, a projeção dos economistas dos bancos para a entrada de investimentos estrangeiros fixou igualmente em US$ 60 bilhões.