Telefone: 13 3878-8400  |  E-mail: consultoria@creditoemercado.com.br

Consultoria em InvestimentosConsultoria em Investimentos

maio 10th, 2012

Selic deve encerrar este ano abaixo de 8,00% ao ano.

Embora grande parte do mercado financeiro esteja trabalhando com a possibilidade de a taxa básica de juros encerrar 2012 em 8,5% ao ano, já existe uma pequena parte com a expectativa da taxa Selic fechar o ano em 7,75%. A partir da alteração no rendimento da poupança anunciada pelo governo na quinta-feira, 03/05, a Credito & Mercado passou a trabalhar com a possibilidade de Selic em 8,00% ao ano, ou seja, uma redução de 0,50 pontos percentual na reunião de maio e de mais 0,50 na reunião de julho.

Além da alteração da metodologia de calculo da poupança, os dados da atividade econômica e a estimativa para a produção industrial trazida pelo Relatório de Mercado – Focus desta semana propiciam as condições necessárias para a redução mais significativa dos juros.

Não somente o fraco desempenho da economia, sobretudo do setor industrial – com queda de 0,5% no mês de março, mas também o segmento de crédito e investimento apresentaram desempenho abaixo do esperado. Destaque para o setor automobilístico, que apresenta inadimplência acima da media histórica, atualmente está em 7,4%.

Caso não houvesse a alteração na metodologia de cálculo da poupança, entendemos que o piso seria de 9,00% para este ano.

Assim sendo, o mercado entende que a pressão sobre os índices de inflação tende a surgir apenas meses após o movimento de afrouxamento da politica monetária, portanto as pressões sobre os preços só apareceriam no próximo ano. O Relatório de Mercado – Focus, divulgado nesta semana, 04/05, mostra que os analistas das instituições financeiras estimam que o IPCA encerre 2012 em 5,12%, e que no próximo ano o índice fique na casa de 5,56%.

Este cenário tende a beneficiar, por mais algum tempo, os fundos atrelados ao IMA. Entretanto, a tendência é que o retorno observado nesta modalidade de fundo, sobretudo naqueles com vencimento mais longo, deve ficar prejudicado assim que o movimento de queda nos juros cessar.