Telefone: 13 3878-8400  |  E-mail: consultoria@creditoemercado.com.br

Consultoria em Investimentos

janeiro 30th, 2012

Mercado reduz mais uma vez a projeção para a inflação de 2012.

Pela nona semana seguida os analistas das instituições financeiras que participam da pesquisa do Banco Central que dá origem ao Focus – Relatório de Mercado, reduziram a sua projeção para o IPCA -  Índice Nacional de Preços ao Mercado Amplo de 2012. Na avaliação dos analistas o índice oficial de inflação recuou de 5,29% para 5,28% em relação à última semana. A informação Focus – Relatório de Mercado divulgado hoje, 30/01.

Para 2013, a estimativa do mercado para o IPCA permaneceu estável em 5%.

Em relação a inflação de curto prazo, o mercado financeiro também reduziu de 0,58% para 0,55%  a sua estimativa para o IPCA de janeiro. Para o IPCA de fevereiro os analistas do mercado financeiro também projetam recuou, neste caso de 0,58% para 0,56%.

Politica econômica

Metas de Inflação é uma política econômica onde principal objetivo dos países que adotam é diminuir e manter a inflação em níveis baixos. Para isto eles fazem um anúncio prévio de uma meta numérica para a inflação em prazo predeterminado e se comprometem explicitamente de que o Banco Central irá buscar o cumprimento desta meta fixada. Para alcançar a meta estabelecida, muitas vezes pelo Governo, o Banco Central deve utilizar todos os instrumentos possíveis como à taxa de juros, o crescimento da base monetária ou a taxa de câmbio.

Tanto para 2012 como para  2013, a meta central de inflação é de 4,5%, com um intervalo de tolerância de dois pontos percentuais para cima ou para baixo. Assim sendo, o IPCA deve ficar entre 2,5% e 6,5% sem que a meta seja formalmente descumprida. A autoridade monetária busca trazer a inflação para o centro da meta de 4,5% neste ano, visto que, em 2011, a inflação ficou em 6,5% – no teto do sistema de metas.

Taxa de juros e cambio

A redução da taxa básica de juros de 11,00% para 10,50% ao ano na primeira reunião do Copom em 2012 e a Ata do Copom divulgada no último dia 26,levou os economistas do mercado financeiro a manter a sua projeção de que a taxa Selic deva ser reduzida novamente ao longo do ano.

A projeção para a taxa básica de juros da economia brasileira para 2012 permaneceu em 9,5% ao ano, o que indica que na percepção do mercado financeiro, deve haver mais um corte para 10,00% ao ano em março, para 9,63% ao ano em abril e em maio, um recuo para 9,5% ao ano.

Porém, para 2013, os analistas das instituições financeiras projetam uma elevação da taxa básica de juros para 10,38% ao ano. Logo, houve uma elevação da estimativa em relação a semana passada quando o mercado projetava a Selic para próximo ano em 10,25% ao ano.

Para a evolução da taxa de cambio, a estimativa do mercado financeiro em 2012 foi elevada R$ 1,78 para R$ 1,80 por dólar. Para o encerramento de 2013, a estimativa continuou inalterada em R$ 1,75 por dólar.

PIB

Para o crescimento da economia brasileira medida pelo PIB – Produto Interno Bruto de 2012, os economistas dos bancos mantiveram a sua estimativa em 3,27% . Para 2013, contudo, a expectativa para o crescimento da economia, caiu de 4,25% para 4,15%.

Balanço de pagamentos

A projeção do mercado financeiro para o saldo da balança comercial (exportações menos importações) para 2012 subiu de superávit de US$ 19,6 bilhões para US$ 19,8 bilhões.

Para 2013, a projeção dos analistas do mercado financeiro para o saldo positivo da balança comercial brasileira subiu de US$ 14,5 bilhões para US$ 15 bilhões.

Para 2012, a projeção de ingresso de IED – Investimentos Estrangeiros Diretos no Brasil continuou em US$ 55 bilhões. Já para 2013, a estimativa do mercado financeiro para a entrada de recursos de investimentos estrangeiros diretos foi elevada de US$ 54 bilhões para US$ 55 bilhões.