Telefone: 13 3878-8400  |  E-mail: consultoria@creditoemercado.com.br

Consultoria em InvestimentosConsultoria em Investimentos

abril 29th, 2011

Ata do Copom – Alta de juros “suficientemente prolongada”

Em que pese à decisão de elevar a taxa básica de juros, Selic, em 0,25 ponto percentual não ter sido tomada por unanimidade pelos membros do Copom – Comitê de Política Monetária do Banco Central – pois, dois dos sete componentes com poder de voto desejavam alta de 0,5 ponto -, em pelo menos um ponto todos concordaram: a partir da reunião desta última reunião, o ajuste da taxa de juros deve ser prolongado.

Na ata da reunião do Copom, divulgada nesta quinta-feira, 28/04, a autoridade monetária garantiu que, de forma unânime, os membros percebem que, “diante das incertezas quanto ao grau de persistência das pressões inflacionárias recentes, e da complexidade que envolve hoje o ambiente internacional, o ajuste total da taxa básica de juros deve ser, a partir desta reunião, suficientemente prolongado”.

Na percepção da maioria dos integrantes do comitê, a alta de 0,25 ponto na taxa é satisfatória, uma vez que “um substancial esforço anti-inflacionário já foi introduzido na economia no último quadrimestre e que há defasagens no mecanismo de transmissão desse esforço para a atividade e para os preços”.

O Banco Central pontuou que, com a decisão de prolongar o ciclo de ajuste, seria necessária uma reavaliação da estratégia de política monetária.

Os dois membro do comitê que defendiam a alta de 0,5 ponto, por sua vez, entendiam que a manutenção do ritmo de alta – nas duas reuniões anteriores em 2011 a elevação da Selic havia sido de 0,5 ponto – abrandaria os riscos de que as pressões inflacionárias se transportassem para o cenário prospectivo.

“Considerando o balanço de riscos para a inflação, o ritmo ainda incerto de moderação da atividade doméstica, bem como a complexidade que ora envolve o ambiente internacional, o Comitê entende que, neste momento, a implementação de ajustes das condições monetárias por um período suficientemente prolongado é a estratégia mais adequada para garantir a convergência da inflação para a meta em 2012”, apontou o BC, na ata.

A próxima reunião do Copom acontece no próximo dia 7 de junho para deliberar sobre os rumos da taxa Selic, que após a ultima reunião passou de 11,75% para 12,00% ao ano. Entre os economistas do mercado financeiro a estimativa é de que o Banco Central deve elevar a Selic em, pelo menos, mais 0,25 ponto.

Evolução da Taxa Selic

Focus: Estimativa para IPCA em 2011 sobe pela 7ª semana seguida

Pela sétima semana seguida os analistas do mercado financeiro voltaram a elevar a estimativa para os índices de inflação para 2011. Esta informação foi divulgada hoje, 25/04, pelo Bacen através do Relatório de Mercado Focus. Conforme os dados divulgados pelo relatório, a projeção para a inflação medida pelo IPCA – Índice de Preços ao Consumidor Amplo, neste ano subiu de 6,29% para 6,34%, em um patamar muito próximo ao limite máximo e muito distante do centro da meta de inflação, fixada em 4,50%. A meta tem margem de tolerância de dois pontos porcentuais para cima ou para baixo.

Os economistas do mercado financeiro conservaram a estimativa da inflação para 2012 em 5,00%. Em relação à inflação de curto prazo, o mercado elevou de 0,70% para 0,79% a projeção para o IPCA – Índice de Preços ao Consumidor Amplo para abril de 2011. No caso da inflação de maio, a taxa projetada caiu de 0,42% para 0,41%.

O mercado financeiro manteve a estimativa para o crescimento da economia. Segundo o Relatório de Mercado – Focus, o PIB – Produto Interno Bruto de 2011, deve crescer 4,00%. Para 2012 a expectativa para o crescimento da economia brasileira, caiu de 4,25% para 4,21%. Na visão dos analistas do mercado financeiro a produção industrial em 2011 deve apresentar uma ligeira redução de 4,08% para 4,06%. Para 2012, a projeção para o crescimento da indústria caiu de 4,68% para 4,65%.

Cambio e taxa de juros

O relatório Focus divulgado nesta segunda-feira mostra que os economistas do mercado financeiro mantiveram a estimativa para a Taxa Selic, a taxa básica de juros da economia brasileira, para dezembro de 2011, em 12,25% ao ano. Atualmente taxa está em 12,00% ao ano. A expectativa para a Taxa Selic para fechamento de 2012 oermaneceu em 11,75% ao ano.

Os economistas do mercado financeiro projetam que o dólar termine 2011 em R$ 1,65, igual ao valor projetado na última semana. A estimativa para o câmbio médio em 2011 passou de R$ 1,63 para R$ 1,62. Para 2012, a estimativa para o câmbio caiu de R$ 1,71 para R$ 1,70.

Balanço de pagamentos

Os analistas do mercado financeiro alteram a projeção para o saldo em conta corrente em 2011. A estimativa para saldo em conta corrente neste ano passou de um déficit de US$ 61,50 bilhões para US$ 60,50 bilhões. Para 2012, o déficit em conta corrente do balanço de pagamentos estimado permaneceu em US$ 69,10 bilhões.

Por outro lado, a estimativa do saldo da balança comercial em 2011 subiu de um superávit de US$ 17,20 bilhões para US$ 18,00 bilhões. Para 2012, a projeção para o saldo da balança comercial também subiu de US$ 10,00 bilhões para US$ 10,05 bilhões. Em relação ao ingresso de IED – Investimento Estrangeiro Direto em 2011, os analistas de mercado mantiveram em US$ 45,00 bilhões. Para 2012, a projeção também permaneceu igualmente em US$ 45,00 bilhões.