Telefone: 13 3878-8400  |  E-mail: consultoria@creditoemercado.com.br

Consultoria em InvestimentosConsultoria em Investimentos

fevereiro 28th, 2011

Mercado projeta, Bacen elevará os juros de 11,25% para 11,75% ao ano nesta semana

Os analistas do mercado financeiro projetam que o COPOM – Comitê de Política Monetária, vá elevar a taxa básica da economia de 11,25% para 11,75% ao ano na próxima reunião que acontecerá nos dias 1 e 2 de março, terça e quarta-feiras para 11,75% ao ano. A informação foi divulgada hoje através do Relatório de Mercado, FOCUS. Caso se confirme, este será o segundo aumento da taxa de juros neste ano.

A elevação da taxa básica de juros tem por objetivo tentar refrear o aumento da inflação no país. O mercado financeiro projetam que deverá haver novos aumentos dos juros ao longo do ano, evidenciando a preocupação por parte da autoridade monetária com o combate a elevação dos índices inflacionários. A expectativa dos analistas do mercado é de que a taxa Selic encere 2011 com juros na casa dos 12,50% ao ano.

Para 2012, a projeção do mercado financeiro para os juros básicos da economia continuou em 11,25% ao ano. Isso significa que há uma expectativa queda dos juros para próximo ano. As estimativas do mercado financeiro são divulgadas semanalmente através do relatório de mercado, Focus – documento este que é objeto de pesquisa junto a 100 (cem) aos economistas de  instituições financeiras.

Política Monetária
A política econômica no Brasil é centrada no controle da inflação, com isso o CMN – Conselho Monetário Nacional estabelece uma meta para a inflação que deverá ser cumprida pelo Banco Central. Um dos instrumentos utilizados para o controle do índice inflacionários é a taxa de juros onde o Bacen, eleva ou reduz os juros para atingir a meta fixada. Para os anos de 2011 e 2012, a meta para a inflação é de 4,5%, com um intervalo de tolerância de dois pontos percentuais para cima ou para baixo. Assim sendo, o IPCA – Índice de Preços ao Consumidor Amplo pode variar entre 2,5% e 6,5% sem que a meta seja formalmente descumprida. Os outros instrumentos de política monetária são o depósito compulsório e o redesconto.

Inflação
Os analistas do mercado financeiro novamente elevaram, a sua estimativa para o IPCA – Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo para 2011, que subiu de 5,79% para 5,80%. Com esta, é a décima segunda semana consecutiva de aumento da expectativa para o índice de inflação para 2011. A expectativa para o IPCA de 2012ado ficou estável em 4,78%.

Os números divulgados hoje mostram que a expectativa de inflação, na visão do mercado financeiro, para este ano é bem superior da meta central estabelecida, porém ainda dentro do intervalo de tolerância.

PIB e câmbio
Na visão dos analistas do mercado financeiro, para do PIB – Produto Interno Bruto para 2011 é de haja um recuou no crescimento da economia de 4,5% para 4,3%. Para 2012, a estimativa dos economistas mercado financeiro de crescimento do PIB continuou estavel em 4,5%.

Na avaliação do mercado financeiro, a taxa de câmbio no fim de 2011 deverá permanecer estável em R$ 1,70 por dólar. Para o encerramento de 2012, a projeção dos analistas do mercado financeiro para a taxa de câmbio caiu de R$ 1,80 para R$ 1,79 por dólar.

Balanço de pagamentos e IED
Na avaliação dos analistas do mercado financeiro a balança comercial, que engloba exportações menos importações, o superávit em 2011 deve subir de US$ 11,45 bilhões para US$ 13 bilhões.

Já para 2012, a expectativa dos analistas para o resultado da balança comercial cresceu de um superávit de US$ 7,10 bilhões para US$ 7,85 bilhões.

Em relação aos IED – Investimentos Estrangeiros Diretos, o mercado financeiro manteve em US$ 42 bilhões a projeção ingresso de recursos em 2011. Entretanto a projeção de ingressos de recursos em 2010 cresceu de US$ 42,69 bilhões para US$ 43,85 bilhões.