Telefone: 13 3878-8400  |  E-mail: consultoria@creditoemercado.com.br

Consultoria em Investimentos

janeiro 24th, 2011

O mercado hoje

No Japão, a bolsa de valores local fechou em alta de 0,7% no pregão de hoje. Na Europa as bolsas da região tem favorecimento bem como o euro, que mostra ligeira apreciação frente ao dólar americano, cotado a US$ 1,3572/€, nesta manhã.

Perspectivas positivas para a bolsa brasileira, que deverá acompanhar o humor ditado pelos mercados internacionais, em um dia que deverá prevalecer baixa liquidez em função do feriado de amanhã em São Paulo. No mercado de câmbio deve se manter volátil, com tendência a depreciação do real. Sem eventos relevantes na agenda doméstica, o mercado futuro de juros deve mostrar pouca flutuação, à espera da ata da reunião do Copom que será divulgada na próxima quinta-feira.

Mercado eleva, pela sétima vez, projeção para inflação de 2011

Os analistas do mercado financeiro elevaram novamente, a sua projeção para o IPCA – Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo deste ano, cuja estimativa subiu de 5,42% para 5,53%. Esta informação consta do Relatório de Mercado- Focus, divulgada nesta segunda-feira, 24/01 pelo Banco Central.

Com esta é sétima semana consecutiva que o mercado eleva sua estimativa para a inflação deste ano. Para 2012, o mercado projeta elevação de 4,5% para 4,54% para o IPCA.

A política monetária adotada no Brasil é baseada no sistema de metas, onde o Banco Central  atua fixando a taxa básica de juros afim de controlar a liquidez da economia, desta forma mantendo a inflação sobre controle. Para os anos de 2011 e 2012, a meta central de inflação é de 4,5%, com um intervalo de tolerância de dois pontos percentuais para cima ou para baixo. Assim sendo, o IPCA Índice de Preços ao Consumidor Amplo pode variar entre um intervalo de 2,5% e 6,5% sem que a meta seja descumprida.

Logo, a inflação projetada pelo mercado financeiro para 2011está  do centro meta estabelecida pelo CMN, porém ainda se encontra dentro do intervalo de tolerância.

Taxa de Juros

Com o objetivo de conter as pressões inflacionárias, o Banco Central, iniciou um ciclo de aperto monetário, elevando a taxa básica de juros na semana passada, de 10,75% para 11,25% ao ano. E na avaliação dos analistas do mercado financeiro, a tendência é de novas altas da taxa de juros ao longo do ano. Os analistas do mercado permanecem acreditando em uma Selic ao final de 2011 em 12,25% ao ano, ou seja, um ponto percentual acima do patamar atual. Para 2012, a expectativa dos economistas para a taxa Selic foi mantida em 11% ao ano.

PIB

Os economistas do mercado financeiro mantiveram a sua projeção para o crescimento do PIB – Produto Interno Bruto (PIB) para 2011 em 4,5%. Também para 2012, a estimativa do mercado de crescimento da economia brasileira ficou inalterada igualmente em 4,5%.

O relatório de mercado, Focus, desta semana mantém a expectativa do mercado financeiro em relação a taxa de câmbio para fim de 2011 inalterada em R$ 1,75 por dólar. Para o encerramento de 2012, a projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio ficou estável em R$ 1,80 por dólar.

Balanço de Pagamentos

A expectativa dos analistas do mercado financeiro para o saldo da balança comercial, que registra a diferença entre exportações menos importações, para 2011 foi elevada de US$ 9 bilhões para US$ 9,27 bilhões.

Para 2012, a expectativa dos analistas para o superávit da balança comercial cresceu de US$ 5,1 bilhões para US$ 5,2 bilhões.

Em relação aos investimentos estrangeiros diretos, a estimativa do mercado para o ingresso em 2011 continuou em US$ 40 bilhões. Para 2012, a estimativa de entrada de investimentos no Brasil permaneceu inalterada em US$ 41 bilhões.

Balanço de pagamentos é um instrumento da contabilidade social referente à descrição das relações comerciais de um país com o resto do mundo. Ele registra o total de dinheiro que entra e sai de um país, na forma de importações e exportações de produtos, serviços, capital financeiro, bem como transferências comerciais.

Existem duas contas nas quais se resume as transações econômicas de um país:

  • a conta corrente, que registra as entradas e saídas devidas ao comércio de bens e serviços, bem como pagamentos de transferência; e
  • a conta de capital, que registra as transações de fundos, empréstimos e transferências.