Telefone: 13 3878-8400  |  E-mail: consultoria@creditoemercado.com.br

Consultoria em InvestimentosConsultoria em Investimentos

janeiro, 2011

Noticia publicada na página da Caixa de Previdência de Cubatão – SP

Sucesso |   atualizado em 11 de Janeiro de 2011 às 19h18

Recursos do fundo aplicados no mercado atingem a meta

Os servidores da Caixa de Previdência de Cubatão podem ficar tranquilos e comemorar. Afinal, os recursos do fundo de previdência aplicados no mercado financeiro atingiram a meta de política de investimentos no último ano. Na prática, o montante subiu de cerca de R$ 156 milhões em dezembro de 2009 para aproximadamente R$ 202 milhões no mesmo mês de 2010.

O superintendente da Caixa, Silvio Alvarez Júnior, explica que a meta é de render no mínimo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) mais 6%. “Essa meta todo ano é apresentada ao Ministério da Previdência Social e aprovada pelos conselheiros do nosso Fundo de Previdência”.

Silvio destaca o trabalho do Fundo de Previdência da Caixa para a conquista do resultado. “Os integrantes estão preocupados em garantir a rentabilidade para um futuro mais tranqüilo para todos”.

Ele lembra ainda a importância do trabalho desenvolvido pela empresa Crédito & Mercado, contratada para analisar antes das decisões os investimentos, analisando o grau de risco e a rentabilidade. “Tudo isso para ser possível investir com segurança. Afinal, é o dinheiro do servidor”.

Silvio afirma que a política de investimentos de 2011 já está disponível para consulta no site da Caixa. Para ver o documento basta  clicar aqui.

http://www.caixacubatao.sp.gov.br/informese.php?m=1&cod=434

O mercado hoje

Nesta manhã o euro é cotado a US$ 1,2906/€, com depreciação de 0,02%, sendo que frente à moeda japonesa atinge ¥ 107,35/€ (-0,05%). No mercado de ações  quedas : Londres -0,27%; França -1,04% e Alemanha -0,32%.

Na China, a bolsa de Shangai recuou 1,66%, enquanto Hong Kong registrou perdas de 0,67%. No Japão, bolsas não operaram por conta do feriado.

Os índices futuros das bolsas norte-americanas, S&P e D&J, seguem os mercados europeus, registrando quedas de 0,50% e 0,32%, respectivamente. No mercado de commodities, a petróleo sobe 0,90%, sendo cotado a US$ 88,81/barril, enquanto o índice CRB de commodities recua 0,35%, refletindo a queda nas commodities metálicas. O índice CRB Food registra alta de 1,19%, nesta manhã.

A primeira prévia do IGP-M de janeiro registrou inflação de 0,42%, com forte desaceleração ante a igual prévia de dezembro (0,75%). No mercado de câmbio, a tendência de valorização do dólar americano frente às principais moedas, neste momento, antecipa provável depreciação do real no dia de hoje. O Ibovespa pode ser favorecido pelo melhor desempenho de algumas commodities, esperamos hoje bons resultados para as ações brasileiras.

Mercado eleva projeção para inflação de 2011

O mercado financeiro voltou a elevar, a sua estimativa para o IPCA – Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo  de 2011, cuja projeção subiu de 5,32% para 5,34%, conforme divulgado segunda-feira 10/01, por intermédio do relatório de mercado, Focus.

Com esta, é a quinta semana seguida que os analistas do mercado financeiro elevam  sua estimativa para a inflação deste ano.

Como informamos, a política monetária no Brasil adota  o sistema de metas, pelo qual o Bacen deve ajustar os juros para atingir a meta de inflação pré-estabelecida. Para 2011 e 2012, a meta central de inflação é de 4,5%, com um intervalo de tolerância de dois pontos percentuais para cima ou para baixo.

Deste modo, o IPCA – Índice de Preços ao Consumidor Amplo pode estar entre 2,5% e 6,5% sem que a meta seja formalmente descumprida. Com isso, a estimativa do mercado está acima da meta central para 2011, porém dentro do intervalo de tolerância de dois pontos percentuais.

Taxa de juros

Os analistas do mercado financeiro continuam projetam que o COPOM – Comitê de Política Monetária, para conter as pressões inflacionárias,   deverá elevar a taxa básica da, já na primeira reunião sob o comando de Alexandre Tombini, que acontece nos dias 18 e 19 de janeiro. Hoje, os juros básicos da economia, Selic, estão em 10,75% ao ano. A expectativa dos economistas do mercado financeiro é de que os juros sejam elevados para 11,25% ao ano em janeiro e que encerrem 2011 em 12,25% ao ano.

PIB

Os analistas do mercado financeiro mantiveram, a sua projeção para o crescimento do PIB -Produto Interno Bruto  de 2011 estável em 4,5%. Para 2012, a estimativa do mercado é de crescimento da economia brasileira de também em 4,5%.

A estimativa do mercado financeiro para a taxa de câmbio ao fim de 2011 continuou inalterada em R$ 1,75 por dólar. Para o encerramento de 2012, a expectativa do mercado para a taxa de câmbio ficou estável em R$ 1,80 por dólar.

Balança comercial
A estimativa do mercado financeiro para  a balança comercial, exportações menos importações, para 2011 é de elevação do superávit de US$ 8 bilhões para US$ 8,75 bilhões na semana anterior.

Para 2012, a estimativa dos analistas do mercado financeiro para o saldo da balança comercial ficou estável US$ 5 bilhões de superávit.

Em relação ao IED – Investimentos Estrangeiros Diretos, a projeção do mercado para a entrada de recursos para 2011 foi elevada de US$ 39,5 bilhões para US$ 40 bilhões. Para 2012, a estimativa de entrada de investimentos no Brasil continuou em US$ 42 bilhões.

O Mercado Hoje

O índice Nikkei subiu 1,65%, enquanto a bolsa chinesa avançou 1,59% e Hong Kong +0,99%. A bolsa de Londres tem 1,79% de ganho. Na França e Alemanha as variações são mais modestas, porém positivas, +0,32% e +0,14% respectivamente. A moeda comum européia registra 0,19% de valorização (US$ 1,3388/€), evidenciando outro dia de dólar fraco, dólar índice -0,10%.

As bolsas americanas seguem o mercado europeu, S&P +0,20% e D&J +0,27%.

As commodities, principalmente as metálicas, se beneficiam desse cenário mais positivo (i.e. cobre +1,11%). O petróleo fica perto da estabilidade +0,01% (US$ 91,56/barril).

Para a bolsa brasileira as expectativas são favoráveis . As commodities com alguma alta e as bolsas no mundo com dia positivo, são fatores que devem impulsionar as ações na Bovespa. O real pode testar mais um dia de apreciação dado o quadro de dólar fraco.

O Mercado Hoje

Na Ásia, a bolsa chinesa  se valorizou 1,76% no pregão de hoje. Em Hong Kong, a bolsa local subiu 1,74%, enquanto no Japão, o índice Nikkei recuou 1,12%, com o mau desempenho do setor exportador diante do fortalecimento do iene frente ao dólar e ao euro.

Na Europa, Londres contraria a tendência de alta dos demais mercados da região, registrando neste momento queda de 1,19%. A bolsa francesa sobe 1,82%, enquanto a alemã registra alta de 1,15% nesta manhã. O euro, por sua vez, está cotado a US$ 1,3302/€ com desvalorização de 0,61%.

Mercados de commodities operam em alta – índice CRB sobe 1,74% – puxado pelo CRB Metal (+1,64%), com destaque para o cobre (+1,11%). No mercado de petróleo, o tipo WTI sobe 0,56% nesta manhã, cotado a US$ 91,89/barril.

Para a bolsa brasileira as expectativas são favoráveis, neste primeiro pregão do ano. Alta das commodities, petróleo e avanço das bolsas internacionais estimuladas pelas boas perspectivas que cercam o crescimento global sugerem que o Ibovespa deverá iniciar o ano com bons ganhos.

Mercado eleva projeção para inflação e juros em 2011

Os analistas do mercado financeiro voltaram aumentar, a sua expectativa para o IPCA – Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo  para 2011, a projeção subiu de 5,31% para 5,32%, conforme informou nesta segunda-feira, 3/01 o Banco Central, por intermédio do relatório de mercado Focus. O Focus é objeto de pesquisa junto aos economistas do mercado financeiro. Para o IPCA de 2010, a estimativa do mercado se manteve estável em 5,90%.

O modelo de política econômica adotado no Brasil é o sistema de metas de inflação, no qual o Banco Central deve calibrar os juros para chegar às metas pré-estabelecidas. Para 2011 e 2012, o centro da meta de inflação é de 4,5%, com margem de tolerância de dois pontos percentuais para cima ou para baixo.

A projeção para o IGP-DI em 2010 recuou de 11,57%  para 11,60% e em 5,50% para 2011 – inferior aos 5,51% esperados anteriormente. Para 2011, a projeção para o IGP-M foi mantida em 5,54%.

Em relação ao IPC-Fipe, a perspectiva de 2010 foi de 6,36% , contra 6,38% projetados no relatório Focus da semana anterior. Já a estimativa para 2011 foi elevada de 4,88% para 4,91%.

Para dezembro de 2010, a projeção para o IPCA se manteve em 0,62%. A expectativa para o IGP-DI no último mês de 2010 caiu de 0,65% no relatório divulgado em 24 de dezembro para 0,61% no relatório de mercado publicado hoje. A mesma tendencia foi apresentada pelo IPC-Fipe, que teve sua projeção para dezembro de 2010, reduzida de 0,55% para 0,52%.

O primeiro mês de 2011, na avaliação dos agentes consultados pelo Bacen, conserva expectativa de alta de 0,60% para o IPCA e de elevação de 0,57% para o IPC-Fipe. A estimativa em relação ao IGP-M recuou para 0,58% ,  diante 0,60% mostrada no relatório anterior. E finalmente  para o IGP-DI, a expectativa  subiu de 0,55% para 0,57%.

Taxa de juros
Com o objetivo de refrear as pressões inflacionárias, o mercado financeiro mantém a expectativa de que o COPOM – Comitê de Política Monetária do Banco Central, depois conservar a Selic estável em 10,75% ao ano em dezembro, deverá elevar a taxa básica da economia em janeiro, na primeira reunião do novo presidente do Banco Central, Alexandre Tombini. A estimativa dos analistas do mercado é de que a Selic seja elevada em 0,5 ponto percentual,  para 11,25% ao ano em janeiro e que chegue ao final de  2011 em 12,25% ao ano.

PIB
Os analistas do  mercado financeiro mantiveram, nesta edição do Focus, a projeção para a evolução do PIB – Produto Interno Bruto (PIB) de 2010 firme em 7,61%. Caso confirmado, este poderá ser o maior crescimento do PIB desde 1985, quando marcou 7,85%. Para 2011, a projeção do mercado para o crescimento da economia brasileira se manteve em 4,5%.

No relatório Focus apresentado hoje, a expectativa do mercado financeiro para a taxa de câmbio ao final de 2011 manteve-se em R$ 1,75 por dólar.

Balanço de Pagamentos
O mercado financeiro espera que a balança comercial, exportações menos importações, em 2010 apresente superávit. A projeção cresceu de US$ 16,63 bilhões para US$ 16,88 bilhões na semana anterior.

Para 2011, o Focus mostra que a expectativa dos economistas do mercado para o saldo da balança comercial continuou estável em superávit de US$ 8 bilhões.

Em relação ao IED – Investimentos Estrangeiros Diretos, a estimativa do mercado para o ingresso de divisas em 2010 avançou de US$ 32,2 bilhões para US$ 33 bilhões. Para 2011, a expectativa de entrada de recursos vindos do exterior no Brasil subiu de US$ 38 bilhões para US$ 39,5 bilhões.