Telefone: 13 3878-8400  |  E-mail: consultoria@creditoemercado.com.br

Consultoria em InvestimentosConsultoria em Investimentos

novembro 30th, 2010

Mercado eleva projeção para inflação e para juros em 2011

Os analistas do  mercado financeiro elevaram mais uma vez a sua projeção para o IPCA – Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo para 2010, que subiu de 5,58% para 5,72%,  conforme divulgado hoje, 29/11 o Banco Central, por intermédio do FOCUS relatório de mercado.

Pela décima primeira semana consecutiva o mercado eleva sua expectativa. Igualmente, os analistas do mercado elevaram a estimativa para o IPCA de 2011 subiu de 5,15% para 5,20% na terceira alta seguida da projeção.

A política econômica adotada pelo Governo Federal é a do sistema de metas de inflação, pelo qual o Banco Central altera a taxa de juros para atingir as metas pré-estabelecidas. Para os anos de 2010 e 2011, a meta central de inflação é de 4,5%, com um intervalo de tolerância de dois pontos percentuais para cima ou para baixo.

Taxa de juros
Após a manutenção da taxa de  juros estáveis em 10,75% ao ano na reunião de outubro, o COPOM – Comitê de Política Monetária, o mercado espera que  também não deve haver alteração na taxa básica na última reunião do ano que acontece nos dias 7 e 8 de dezembro. Cabe ressaltar que esta será a  última reunião comandada por Henrique Meirelles, que  já anunciou que não continuará a frente do comando do Banco Central e será substituído por Alexandre Tombini, que atualmente  ocupa o cargo de diretor de normas da autoridade monetária.

Caso a expectativa do mercado se confirme, em sua última reunião a frente do comando da autoridade monetária, Henrique Meirelles não precisará elevar os juros, entretanto, com a expectativa de elevação da pressão inflacionária, o mercado acredita que o próximo presidente BC, Alexandre Tombini,  necessitará elevar mais a taxa básica de juros, em relação ao que era esperado anteriormente.

O mercado elevou para 12,25% ao ano no fim de 2011, a expectativa para a taxa básica de juros, Selic. Isto representa um aumento de 1,5 ponto percentual em relação a taxa que vigora atualmente. No relatório divulgado na semana passada, os analistas de mercado esperavam que os juros encerrassem 2011 em 12,00% ao ano. A expectativa é de que os aumentos sejam iniciados em abril de 2011.

PIB
Os analistas do mercado financeiro reduziram, na semana passada, a sua projeção para o crescimento do PIB – Produto Interno Bruto de 2010 de 7,60% para 7,55%. Caso se confirme, mesmo com esta redução ainda será o maior crescimento desde 1985 (7,85%). Para 2011, a expectativa do mercado é de crescimento da economia brasileira permanece em 4,5%.

Taxa de câmbio

O mercado manteve inalterada, em R$ 1,70 por dólar, sua estimativa para a taxa de câmbio no fim de 2010. Para o encerramento de 2011, os analistas projetam a taxa de câmbio em R$ 1,75 por dólar.

Balanço de Pagamentos

O mercado financeiro projeta para o resultado da balança comercial (exportações menos importações) em 2010, superávit de  US$ 16,3 bilhões contra US$ 16,0 bilhões esperado na semana passada.

Para 2011, o Banco Central, mostra através do relatório Focus, que o mercado projeta crescimento para o saldo da balança comercial de US$ 8 bilhões para US$ 8,5 bilhões de superávit.

Em relação ao IED – Investimentos Estrangeiros Diretos, a expectativa do mercado para o ingresso de recursos em 2010 foi conservada em US$ 30 bilhões. Para 2011, a projeção de entrada de investimentos no Brasil permaneceu em US$ 35 bilhões.