Telefone: 13 3878-8400  |  E-mail: consultoria@creditoemercado.com.br

Consultoria em InvestimentosConsultoria em Investimentos

agosto 22nd, 2010

Indicadores – RPPS

Indicadores de rentabilidade e meta atuarial.

Obs.: INPC e IPCA projetados.

Boletim Focus aponta menor expansão do PIB, inflação e Selic

 

Em tom mais pessimista, o mercado reduz pela segunda vez seguida as expectativas para o crescimento da economia brasileira em 2010, da mesma forma que sustentou suas estimativas para a inflação após cinco quedas consecutiva. As informações foram reveladas na última edição da Pesquisa Focus, publicado pelo BACEN – Banco Central do Brasil nesta segunda-feira, dia 16.

 

Selic

Os analistas mantiveram a projeção de uma alta de 0,25 ponto percentual, na reunião de final de agosto, inicio de setembro, da taxa básica de juros, a Selic. O mercado estima ainda que a taxa deve permanecer neste patamar até o fim do ano. Conforme o Boletim Focus, a mediana das estimativas do mercado abaliza uma Selic de 11% ao ano para setembro e manutenção da taxa para o final de 2010. A Selic atualmente está em 10,75%.

O mercado manteve sua expectativa revelada no boletim da semana retrasada. Para 2011 o mercado espera um menor ajuste da Selic. A perspectiva para a Selic para o final de 2011 recuou de 11,63% para 11,5% – ou seja, os analistas esperam um aumento de 0,5 ponto percentual em todo o ano de 2011.

 

Cambio

A mediana das estimativas dos analistas, consultados pelo BACEN, para a taxa de câmbio para o final de 2010 sustentou-se em R$ 1,80 e, para o final de 2011, em R$ 1,85. O mercado espera que o dólar encerre o mês de agosto em R$ 1,77.

Inflação

Os analistas reduziram levemente a estimativa média para a inflação oficial acumulada para os próximos 12 meses. Segundo o Boletim Focus do Banco Central, a mediana das expectativas dos analistas aponta para IPCA de 4,98%, contra as expectativas de 5% da semana retrasada.

Nos demais índices avaliados, a projeção também recuou levemente. O IGP-DI caiu de 5,37% para 5,34% e, o IGP-M em 12 meses, recuou de 5,37% para 5,31%. No IPC da Fipe, a projeção média retrocedeu de 4,40% para 4,28%.

 

Produção Industrial

Conservando a tendência já apontada nas últimas semanas, o mercado reduziu pela quarta vez seguida suas projeções para o crescimento da produção industrial do Brasil. Hoje, as projeções apontam um crescimento de 11,57% da atividade industrial, ante uma alta de 11,70% projetada uma semana antes.